Confira os 5 erros mais comuns ao abrir um empreendimento


Por Redação

15/07/2022  às  09:35:39 | | views 56


@divulgação
Falta de planejamento é o principal erros de microempresários

Coordenador do curso de Administração da Anhanguera apresenta dicas para alcançar o sucesso no empreendedorismo


Segundo dados da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), foram registrados mais de 35 mil novas microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP) até junho de 2022 - número 7% maior do que o mesmo período no ano anterior. Abrir o próprio negócio é o sonho de muitos brasileiros que desejam a independência financeira e, de acordo com especialistas, alguns procedimentos são necessários para aumentar as chances de sucesso nos investimentos.

 

Como explica o coordenador do curso de administração da Faculdade Anhanguera, professor Ricardo Nunes Saad, a falta de planejamento é o principal fator que prejudica a conquista de resultados. "É preciso criar uma estratégia e tomar cuidado para não oferecer um produto que não gera interesse do público ou que tenha uma concorrência saturada", afirma o acadêmico. "Ideias brilhantes precisam de estudo para garantir uma boa execução e evitar o fracasso", completa.

 

Diferentemente do microempreendedor individual (MEI), que pode contratar apenas um funcionário e fatura até R? 81 mil por ano, a ME pode montar uma equipe de até 19 pessoas, dependendo do segmento, e tem o limite de lucro anual de R? 360 mil. "O MEI pode ser a porta de entrada para o mundo dos negócios, mas é possível ter sucesso com o ME sem essa experiência", defende o docente. O professor da Anhanguera aponta quais os principais erros de empresários de primeira viagem:

 

Cálculos iniciais. É preciso colocar na ponta do lápis todos os custos iniciais e capital disponível para o empreendimento para não começar mal. A burocracia faz parte do planejamento estratégico e deve prever gastos na execução de projetos.

 

Contabilidade. A contratação de um contador irá acelerar fluxos e evitar problemas com a legislação tributária. Centralizar atribuições representa riscos aos rumos dos negócios e uma equipe capacitada irá auxiliar no sucesso administrativo.

 

Transações e notas. É preciso registrar todos os valores, inclusive os menores, de transação em caixa para emissão de notas ficais. Caso não sejam emitidas corretamente, as multas podem custar de 10% a 100% do valor da nota autuada.

 

Dinheiro pessoal. Misturar o orçamento empresarial com a renda pessoal do empresário, além de ser um risco para os dois capitais, pode retirar a perspectiva e controle de crescimento. Separar pessoa física de pessoa jurídica é imprescindível.

 

Concorrência. A análise de mercado é uma etapa importante para a proposta de novas empresas. Ramos consolidados do comércio podem ser mais difíceis para competição em vendas e é necessário oferecer produtos de qualidade e ter perfil autêntico.



Comentários desta notícia 0



Comentários - ver todos os comentários


Seja o primeiro a comentar!

© Copyright 2002-2019 SEGNEWS - Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Rede SegComunicação. SEGNEWS e SEGWEB são marcas da BBVV Editora Ltda, devidamente registradas pelas normas do INPI — Instituto Nacional da Propriedade Industrial.