Iniciativa da Acnur estimula empresas a contratar refugiados no Brasil


Por Redação

23/06/2021  às  12:51:30 | | views 6706


© Marcello Casal/Agência Brasil

Em 2020, país tinha 57 mil refugiados reconhecidos oficialmente, de diversas nacionalidades


A Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) lançou hoje (23) o Fórum Empresas com Refugiados para promover a contratação de refugiados por empresas que atuam no Brasil . A princípio, 21 organizações empresariais aderiram à iniciativa.

 

Segundo dados do Comitê Nacional de Refugiados (Conare), até o fim de 2020 o Brasil possuía 57.009 pessoas reconhecidas oficialmente como refugiadas, de diversas nacionalidades e predominantemente na faixa etária entre 25 e 39 anos.

 

A maioria foge de conflitos e convulsões sociais em seus países e muitas vezes, apesar de possuíram alta qualificação profissional, têm grande dificuldade em acessar o mercado de trabalho formal, afirmou José Egas, representante da Acnur no Brasil.

 

“Há muitas razões para isso, mas uma delas é o desconhecimento das empresas de que é perfeitamente legal contratar uma pessoa refugiada”, disse Egas. É esse tipo de lacuna que iniciativas como o a criação do fórum pretende preencher, destacou ele.

 

A ideia é que as empresas que já aderiram troquem experiências e boas práticas na contratação, capacitação e acompanhamento de funcionários com status de refugiados, bem como que atuem na mobilização de outras empresas a abraçarem a causa.

 

Na página do projeto, são disponibilizadas, por exemplo, informações gerais sobre refugiados, materiais de referência, pesquisas relevantes e orientação sobre o processo de contratação de refugiados.

 

Até o momento, o Fórum Empresas com Refugiados tem os seguintes parceiros estratégicos: IFC, Tent Partnership for Refugees, Foxtime e EY. O fórum conta com o apoio das seguintes empresas: Lojas Renner, Unidas, MRV, Facebook, Iguatemi Empresa de Shopping Centers e Sodexo On-site. (Com Agência Brasil)



Comentários desta notícia 0



Comentários - ver todos os comentários


Seja o primeiro a comentar!

© Copyright 2002-2019 SEGNEWS - Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Rede SegComunicação. SEGNEWS e SEGWEB são marcas da BBVV Editora Ltda, devidamente registradas pelas normas do INPI — Instituto Nacional da Propriedade Industrial.