Colunista

Elubian Sanchez

Quanto vale uma empresa?


31/08/2021 | 00:00:00 | Visto por: 4487 leitores

     Quanto vale uma empresa? O Enjoei, blog especializado em venda de roupas usadas, começou em 2009 com investimento de apenas R$ 200. Hoje, é um marketplace avaliado em R$ 2 bilhões. O que isso significa?

 

     Será que os sócios estão ou poderiam anunciar por esse valor? Será que venderiam, ou seja, teria comprador? Um exemplo da complexidade da valoração de uma empresa está na compreensão do seu negócio e em suas finanças.

 

     Tem-se a visão de que a empresa que começou como um blog está avaliada em R$ 2 bilhões. Com a abertura de capital na Bolsa de Valores, somando o valor da ação vezes a quantidade de ações, chega-se à estimativa de R$ 2 bilhões, sendo esse um valor aproximado da valoração da empresa.

 

VALOR DE MERCADO = QUANTIDADE DE AÇÕES X VALOR DA AÇÃO

Cálculo hipotético com o valor da ação a R$ 6,90

R$ 2.000.000.000,00 = R$ 6,90 x 289.855.073 ações (haja ação!)

 


     Mas essa riqueza é transferida geralmente entre os proprietários das ações, que apenas uma parte está com os sócios, e sua liquidez depende da venda ou transformação do lucro da empresa em dividendos.



     Mas, se buscarmos no Balanço Patrimonial o valor inicial investido (capital social), poderia ter a origem registrada por R$ 200, que gerou um ativo intangível do valor pago pelo domínio do blog na internet, consumido integralmente após um ano de uso.

 

Capital Social = Valor Investido pelos Acionistas

Ativo Intangível do Domínio = Direito de uso por período com expectativa de Geração de Fluxo de Caixa Futuro

 

     Em apenas um trimestre, a receita da empresa foi de R$ 24 milhões (advinda de 13% de comissão e uma taxa por transação), com perspectiva de aumento, por conta da quantidade de novos vendedores buscando a plataforma de e-commerce e aumento considerável na quantidade de produtos ofertáveis.

 

Receita Líquida = Valor das Vendas e SErviços Menos Impostos Diretos da Operação, Cancelamento e Descontos

 

     Muito da valoração empresarial considera principalmente o "faturamento", que é sinônimo das receitas. Há uma praxe de vender empresas por uma quantidade entre 4 e 10 vezes o faturamento atual.

 

     É usual a prática do uso do faturamento na valoração de empresas menores, visto que a receita é um item de fácil verificação (por meio das notas fiscais, dos recebimentos no banco ou inventário dos contratos), e a quantidade de vezes sobre o faturamento variará com o potencial de retenção da receita pelos novos compradores.

 

Simplificação do Valor da Empresa = Faturamento Atual X Meses de Retenção

 

     Se você vende sua empresa ou oferecem para comprá-la com base no faturamento, é porque ela não possui outro ativo ou diferencial suficiente para pagar algo a mais por ela e que a sua gestão e operacionalização não são reconhecidas como um ativo a ser mantido.

 

     GOODWILL = Diferença do Valor Pago a Maior Após Realizar a Alocação entre Ativos e Passivos Adquiridos

 

     A geração do Goodwill é o que segrega empresas comuns dos unicórnios, que são as empresas que têm uma operacionalização diferente do atual, com potencial para crescimentos em outros ambientes (escalável).



Comentários desta notícia 0



Comentários - ver todos os comentários


Seja o primeiro a comentar!

© Copyright 2002-2019 SEGNEWS - Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Rede SegComunicação. SEGNEWS e SEGWEB são marcas da BBVV Editora Ltda, devidamente registradas pelas normas do INPI — Instituto Nacional da Propriedade Industrial.